Ato inter-religioso marcará aniversario da CCIR e centenário do Dragão do Mar, no Centro

Neste sábado, 29 de março, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos será palco de diversas comemorações. A partir das 10h, a Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR) celebrará o sétimo aniversário de sua fundação (17 de março) em um ato inter-religioso. O centenário da morte de Francisco José do Nascimento, o “Chico da Matilde” (mais conhecido como “Dragão do Mar”) também será lembrado, assim como será inaugurada a exposição de fotografias “Caminhando A Gente Se Entende”. Estão confirmadas as presenças do interlocutor da comissão, babalawo Ivanir dos Santos; da fundadora, Mãe Fátima Damas; e de diversos lideres religiosos.

Após o truculento episódio que culminou com a expulsão de religiosos de matriz africana por traficantes em uma comunidade da Ilha do Governador, em 2008, Mãe Fátima Damas organizou uma manifestação pró-liberdade religiosa na escadaria da Alerj. Ivanir dos Santos sugeriu que organizassem uma caminhada, marcando assim o nascimento da CCIR. Incansável, Fátima Damas ressalta a persistência de todos os membros. “São sete anos de uma luta árdua. Mas a nossa mensagem precisa chegar à sociedade, de forma a acabarmos de vez com a intolerância religiosa”.

Homenagem

Haverá, ainda, homenagem a Chico da Matilde, pelos 100 anos de sua morte. Em 1879, o “Dragão do Mar” liderou um grupo de pescadores cearenses e negou-se a continuar o transporte de escravos para o Sul do País. Cinco anos depois, o Ceará se tornou o primeiro estado a abolir a escravidão. “Atitudes como a do Dragão do Mar ajudaram no combate à escravidão. Depois do Ceará, outros estados seguiram o exemplo. É nesse sentido que a Comissão continua lutando pela implementação da Lei 10.639/03 (institui os ensinos das histórias da África e da Cultura Afro-Brasileira nas escolas do Brasil), a fim de que se conheçam verdadeiros heróis de nossa história”, ressalta.

Por fim, será inaugurada a exposição de fotografias “Caminhando A Gente Se Entende”, no Museu do Negro. O trabalho apresenta imagens de caminhadas em Defesa da Liberdade Religiosa, realizadas desde 2008, na Praia de Copacabana. A mostra, que já passou pela UERJ, Museu da República e IFCS/UFRJ, estará aberta ao público gratuitamente, no recém-inaugurado segundo andar da igreja, com entrada franca.

Serviço: Ato inter-religioso pelo sétimo aniversário da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa, com homenagem ao Dragão do Mar e inauguração da exposição “Caminhando A Gente se Entende”

Local: Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos

Endereço: Rua Uruguaiana, 77 – Centro – Rio de Janeiro

Horário: 10h

Deixe um comentário

Voc deve estar logged in para deixar um comentrio.