CCIR pede atenção especial para Polícia com investigação sobre terreiro incendiado

A Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR), através de seu interlocutor – babalawo Ivanir dos Santos-, fez pedido a Policia Civil do Estado do Rio de Janeiro (PCERJ) de total atenção para o caso do terreiro de Candomblé Kwe Cejá Gbé, no bairro Taquara, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, que foi invadido e incendiado, por volta de 1h30 da madrugada de ontem.

 Criminosos colocam fogo em centro espírita de Caxias

O representante da Polícia Civil na Comissão, delegado Henrique Pessoa, afirmou que está tomando todas as providências, e ratificou o compromisso com o caso. “Já estou fazendo contato com o diretor-geral de Polícia na Baixada, Ricardo Domingues, para que ele solicite, junto à DP de Caxias, atenção especial a essa investigação, pois o chefe de instituição, Fernando Veloso, deu orientações de que qualquer ato de intolerância religiosa seja reprimido de forma categórica”, disse o delegado.

Para Ivanir dos Santos, a necessidade de achar os responsáveis pelo ataque se faz para que a sociedade tenha respostas contra atos de preconceitos. “Queimaram uma casa de Candomblé. Mas é o que sempre falo: primeiramente, vão para a fogueira Umbanda e Candomblé, mas, depois, vão os outros. É preciso estar atento a atos como esse para que nenhum segmento sofra com discriminações”, afirmou.

è para noticia

Deixe um comentário

Voc deve estar logged in para deixar um comentrio.