CCIR realiza “Eleições Municipais e Luta contra a Intolerância Religiosa”

 

 

CCIR realiza “Eleições Municipais e Luta contra a Intolerância Religiosa”

A Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR) organiza debate para o próximo dia 16 de junho (sábado), na UnigranRio da Lapa, às 10h, com a finalidade de confeccionar uma carta-compromisso a ser entregue aos candidatos que disputarão as eleições deste ano. Representantes de todos os segmentos irão se unir pelas “Eleições Municipais e Luta contra a Intolerância Religiosa”. O evento terá as participações do cientista político e professor do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS/UFRJ) Paulo Baía; da coordenadora do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros (Neab/Faetec), Helena Theodoro; e do pedagogo e interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa, Ivanir dos Santos. O encontro é aberto a todos os cidadãos.

Para o interlocutor da CCIR, babalawo Ivanir dos Santos, o debate visa ao esclarecimento entre candidatos e eleitores. Segundo o sacerdote do Candomblé, uma carta-compromisso mostra a abertura de cada aspirante em relação ao tema. “Não restam dúvidas que a liberdade religiosa é um assunto muito importante e essencial para os cidadãos. Encaminhar uma carta-compromisso a eles (candidatos) tem a intenção de mostrar a boa vontade com o tema e compromisso com a liberdade de expressão. Estaremos unidos para a formulação do documento, que será enviado assim que as candidaturas forem confirmadas”, disse.

Candomblecistas, umbandistas, católicos, protestantes, judeus, muçulmanos, hare Krshnas, seguidores da Fé Bahá’í, do Santo Daime, Wiccans, kardecistas, ciganos, budistas, ateus e agnósticos estarão com os participantes da mesa, que pretendem esclarecer sobre os deveres dos parlamentares relacionados à liberdade religiosa, assim como os direitos de todos os cidadãos.

De acordo com Helena Theodoro, pesquisas ressaltam a essencialidade da discussão para a democracia, e o assunto deve ser considerado prioridade para os candidatos. “O tema tem estado na agenda de preocupações nos últimos anos. Alguns trabalhos de pesquisadores ilustres têm ressaltado a importância  da discussão para a manutenção da democracia, além de apresentarem elementos fundamentais para a compreensão do mesmo e possibilidades de  envidar esforços na sua superação. A responsabilidade do governo com as manifestações de discriminação de qualquer ordem se consubstancia nas leis, que controlam atitudes. Discutir a intolerância religiosa e seus diferentes impactos na sociedade brasileira é fator primordial na proposta de novos prefeitos”, ressalta a coordenadora, que completa defendendo a laicidade do Estado pela Constituição.  “As religiões de matrizes africanas, conhecidas desde há muito em nosso País como religiões afro-brasileiras e/ou afro-indígena-brasileiras, têm oferecido diversificados planos analíticos em função de sua complexidade social, tanto nas estruturas internas das comunidades de terreiros como na relação estabelecida entre estas e a sociedade civil, que refletem a possibilidade real de tolerância religiosa e união na diversidade. Assim, consideramos relevante as reflexões do povo de santo com as diversas instâncias sociais, participando da construção efetiva de um Estado laico , com real liberdade religiosa, como prega nossa Constituição”.

“Eleições Municipais e Luta contra a Intolerância Religiosa”

Data 16/06/2012

Local: UNIGRANRIO

Endereço – Rua da Lapa, 86 – 12 andar – Centro

Horário: 10h

Entrada: livre

 

 

Deixe um comentário

Voc deve estar logged in para deixar um comentrio.