CCIR receberá prêmio da Presidência da República por atuação na diversidade

Cerimônia ocorrerá ainda este mês e contará com presenças de diferentes representantes religiosos

A Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR) ganhou o Prêmio Direitos Humanos 2014, concedido pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR). A lista com os escolhidos saiu no Diário Oficial da última quinta-feira (27), e a cerimônia de entrega será no próximo dia 10. O grupo foi reconhecido na categoria Promoção e Respeito à Diversidade Religiosa.

Destaque

Já em sua 20ª edição, este consiste na mais alta condecoração do governo brasileiro a pessoas e instituições que se destacam pela promoção e defesa dos Direitos Humanos.

Não à toa, a data de entrega da escultura e do certificado será no aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, como nos anos anteriores.

De acordo com o interlocutor da CCIR, babalawo Ivanir dos Santos, a vitória é de todos, uma vez que o trabalho do grupo tem se destacado por todo o País.

- Estarei na cerimônia, em Brasília, para representar à Comissão e, até agora, 14 pessoas de diversas religiões confirmaram presença. São budistas, judeus, muçulmanos, entre outros. O que ressalto são a simpatia da sociedade com a causa; e o trabalho em grupo, pois a CCIR sempre recebeu apoio da Polícia, da Academia, de vários profissionais liberais, da Justiça e principalmente da imprensa – confirmou o sacerdote do Candomblé.

A Comissão de Combate à Intolerância Religiosa surgiu em 2008, quando fieis de matrizes africanas foram expulsos de suas casas em uma comunidade na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio de Janeiro, por traficantes que se diziam convertidos a segmentos neopentecostais. Com o fato, centenas de pessoas foram para as escadarias da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), a fim de chamar atenção das autoridades com o caso. Desde então, o grupo realiza, sempre ao terceiro domingo de setembro, a Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa, que reúne milhares de cidadãos, na Praia de Copacabana.

Em reuniões semanais, a CCIR trabalha pela promoção do respeito entre os diferentes credos e ratifica a importância de uma sociedade de todos, incluindo os que não têm fé.

- O Brasil é laico, e cada cidadão tem o direito de optar por qual caminho seguir. A Comissão acredita que não há um trilhar melhor, e que todas as opções devem ser respeitadas.

Lista de vencedores

I – Direito à Memória e à Verdade: Clodesmidt Riani;

II – Defensores de Direitos Humanos – “Dorothy Stang”: Marie Henriqueta Ferreira Cavalcante;

III – Educação em Direitos Humanos: Paulo Freire (em memória);

IV – Comunicação e Direitos Humanos: Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social;

V – Centro de Referência em Direitos Humanos: Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia;

VI – Garantia dos Direitos da População em Situação de Rua: Pastoral do Povo da Rua;

VII – Enfrentamento à Violência: Mikhaila Gutierrez Copello;

VIII – Enfrentamento à Tortura: Luiz Carlos Fabbri (em memória);

IX – Segurança Pública e Direitos Humanos: Fórum Brasileiro de Segurança Pública;

X – Promoção e Respeito à Diversidade Religiosa: Comissão de Combate à Intolerância Religiosa – CCIR;

XI – Garantia dos Direitos da População de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – LGBT: Maria Elizabeth Guimarães Teixeira Rocha;

XII – Erradicação do Subregistro de Nascimento – “Santa Quitéria do Maranhão”: Raimundo Nonato Pereira da Silva;

XIII – Erradicação do Trabalho Escravo: Associação do Assentamento Nova Conquista;

XIV – Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente: Rede Nacional Primeira Infância;

XV – Garantia dos Direitos da Pessoa Idosa: Maria Cecília de Souza Minayo;

XVI – Garantia dos Direitos das Pessoas com Deficiência: Luiz Claudio Alves Pereira;

XVII – Igualdade Racial: Mário Lucio Duarte Costa – Goleiro Aranha;

XVIII – Igualdade de Gênero: Clara Charf;

XIX – Garantia dos Direitos dos Povos Indígenas: Cacique Damião;

XX – Cultura e Direitos Humanos: Leandro Roque de Oliveira – Emicida;

XXI – Selo Nacional de Acessibilidade: Hotel Fazenda Campo dos Sonhos.

Deixe um comentário

Voc deve estar logged in para deixar um comentrio.