Comissão contra a intolerância religiosa discute a criação de um núcleo na PM

 

Representantes da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro e da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR) se reúnem nesta quinta-feira (9/9), às 15h, no Quartel General da PMERJ, para discutir, entre outros temas, a criação de um núcleo de religiões afro-brasileiras (Nafro) na corporação. Como já ocorre em São Paulo e Bahia, a ideia é fazer com que sacerdotes da umbanda e do candomblé prestem assistência aos fiéis que integram a tropa no Estado do Rio de Janeiro.

Para o babalawo (sacerdote) do candomblé Ivanir dos Santos, interlocutor do CCIR, a criação do Nafro seria uma conquista relevante para a entidade, já que todos os registros envolvendo a Lei 7.716/89 (Lei Caó) – que considera crime o preconceito de raça, cor, etnia e religião – poderão ser monitorados. Na Polícia Civil, por exemplo, o Núcleo de Combate à Intolerância Religiosa (Rua Silvino Montenegro, 1, 4° andar – Gamboa) inaugurado em janeiro, não faz registros de ocorrências, mas acompanha e orienta os mesmos policiais e vítimas quanto aos procedimentos.

Por outro lado, em março passado, a CCIR lançou o primeiro estudo científico realizado a partir de casos atendidos pela entidade, uma experiência inédita no país pela garantia de direitos civis. O dossiê, coordenado por antropólogos da UFF, serviu como base para o Relatório da Intolerância distribuído para instituições que lidam com políticas de Direitos Humanos nas esferas municipal, estadual, federal e internacional. O documento é uma forma de chamar a atenção da sociedade para a importância do tema na conquista da liberdade religiosa.

O Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa (21/1) foi instituído pela Lei Federal 11.065/07 para lembrar a data de morte da iyalorixá (sacerdotisa do candomblé) Gilda do Ogun, em 2000. Mãe Gilda foi acometida por um infarto fulminante ao ver sua foto estampada na capa da

Folha Universal com o título de “Macumbeiros charlatões enganam fiéis”.

Por : Ascom

FONTE: MacaeNews.com.br

 

Deixe um comentário

Voc deve estar logged in para deixar um comentrio.