Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa terá comemorações e debates na Cinelândia

 

 

Instituído como Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, o 21 de janeiro é uma data marcante para os brasileiros que lutam pelo respeito entre os diferentes credos. A celebração foi oficializada pela Lei 11.635/07, em homenagem a Gildásia dos Santos e Santos, mais conhecida como Mãe Gilda, do terreiro Axé Abassá de Ogum, em Salvador – Bahia. A religiosa enfartou após ver seu rosto estampado na capa da Folha Universal com a manchete: “Macumbeiros charlatões lesam o bolso e a vida dos clientes”.

Sendo assim, a Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR) – com apoio da Globo Rio e do Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP) -, que sempre lembrou o ocorrido com alguma atividade, pretende, em 2013, reunir, na Cinelândia, a partir das 9h, representações de vários segmentos para mostrar a possibilidade da convivência entre os diferentes. “O ‘Cantando’ é uma celebração também. Mas muito mais que isso é um evento cidadão, que pretende sempre lembrar e homenagear Mãe Gilda”, diz o interlocutor da CCIR, babalawo Ivanir dos Santos.

Além disso, no Centro Cultural Justiça Federal (CCJF) – com apoio da Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH) -, mesas de debates com várias autoridades civis e religiosas prometem levantar pautas referentes ao tema e lançar a segunda edição do livro “Caminhando A gente se Entende”. Ao fim, artistas como Arlindo Cruz e padre Omar se apresentarão no palco principal.
O grupo, que é composto por candomblecistas, umbandistas, hare Krshnas, protestantes, católicos, espíritas, budistas, wiccans, ciganos, seguidores do Santo Daime, judeus, muçulmanos, ateus e agnósticos, disponibilizará barracas em um dos principais pontos do Centro do Rio de Janeiro, em que cada segmento se fará representado e participará, durante todo o dia, de atividades culturais. Cada um, à sua forma, mostrará a disposição de conviver com o outro e um pouco de sua tradição. A Comissão também vai expor toda sua trajetória em uma das estruturas armadas, onde serão arrecadados leite em pó, água, alimentos não perecíveis, material de higiene pessoal e fraldas, para doações às vítimas das chuvas em Xerém, na Baixada Fluminense.

Celebrações

Momentos importantes estão previstos para o “Cantando A Gente se Entende”. Com a consciência de que é um movimento feito por religiosos e com intuito cidadão, os seguintes horários serão destacados com celebrações religiosas: 9h; 12h; 15h; 17h e 18h. Trata-se da união de sacerdotes de diversos credos que se juntarão em ato simbólico, a exemplo do que ocorreu na Cúpula dos Povos, na época da Rio+20. Esses líderes podem levantar as mãos para o alto, plantar sementes, proferir uma palavra ou realizar qualquer simbolismo que conote união.

Diretrizes para o Plano Nacional de Combate à Intolerância Religiosa

No Centro Cultural Justiça Federal (confira programação anexada), delegados, acadêmicos, especialistas, e autoridades civis e religiosas unirão conhecimentos pelos seguintes temas: Intolerância Religiosa e Meio Ambiente; Intolerância Religiosa na Educação; Formas de Combate À Intolerância Religiosa; e Apresentação de Parâmetros para o Plano Nacional de Combate à Intolerância Religiosa. Esta trata de documento importante pelo fim de preconceitos relacionados a crenças. Organizado pelo professor Leonardo Mariano, o “RELIGIÃO E DEMOCRACIA NO BRASIL – Subsídios para o Plano Nacional de Combate a Intolerância Religiosa” pretende congregar elementos históricos e Direitos das Instituições Religiosas, a fim de dar mais um passo pela confecção do Plano Nacional de Combate à Intolerância Religiosa.
“O Brasil precisa avançar na questão do respeito ao diferente e, dessa forma, o Plano Nacional de Combate à Intolerância Religiosa tem importância inenarrável na construção da nação”, afirma o babalawo.
Também no CCJF, será lançada a segunda edição do livro Caminhando A Gente se Entende, publicação de fotografias das quatro primeiras caminhadas em Defesa da Liberdade Religiosa, realizadas na Praia de Copacabana, aos terceiros domingos de setembro, pela Comissão.
Haverá um palco para apresentações de artistas que representam os segmentos religiosos. Padres, ogans, bandas e músicos terminarão o dia em clima de festa. A intenção é levar shows que façam os fiéis e participantes a se identificar através da música. Porém, as atividades culturais também chamarão atenção em um tablado, em diferentes horários do dia. Manifestações ligadas às religiões, como grupos de capoeira, corais, dançarinos, entre outros, tomarão conta deste espaço e complementarão a celebração.
No início da noite, às 19h, Varda, Ogan Bambala, Ogan Tião Casemiro, Padre Omar e Arlindo Cruz fecham o dia em grande estilo e com muita alegria.

 

Seminário Caminhos para Liberdade Religiosa
Dia 21 de janeiro – Centro Cultural Justiça Federal – Cinelândia

9h30 Abertura
– Babalawo Ivanir dos Santos – Interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa
– Zaqueu Teixeira– Secretário de Estado de Direitos Humanos e Assistência Social
– Fernanda Duarte – Representante do Centro Cultural da Justiça Federal
– Representante da UNESCO

10h Mesa Intolerância Religiosa e Meio Ambiente
– Sergio Besserman – Economista e Ambientalista
– Lara Moutinho – Superintendente de Educação Ambiental/ Coordenadora Geral do Programa Ambiente em Ação
– Phillipe Bandeira de Mello
– Carlos Alberto Muniz
– Marilena Mattos – Pedagoga /Dirigente da Casa de Cláudia/ Vice-presidente do Muda

11h Mesa Intolerância Religiosa na Educação
– Padre Gêge – Mediador
–Daniella Hiche – Representante da Comunidade Bahá’í do Brasil/Membro do Comitê Nacional de Diversidade Religiosa da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República/Conselheira do Fórum Nacional de Educação em Direitos Humanos
– Ana Paula Miranda
– Azoilda Loretto da Trindade– Doutora Professora Universitária

– Mãe Jaciara – Filha de mãe Gildásia

12h30 Almoço

14h Mesa Formas de Combate À Intolerância Religiosa
–Gustavo Proença– Coodenador Técnico do Centro de Referência pela Liberdade Religiosa
– Sheikh Jihad
– André Chevitarese
– Desembargadora Denise Levy Tredler

15:30 Apresentação de parâmetros para o Plano Nacional de Combate a Intolerância Religiosa
– Representante da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República
– Ministra Luiza Bairros (Seppir)
– Ministro Gilberto Carvalho Casa Civil
– Ministro Jose Eduardo Cardozo Justiça
–Ministra Marta Suplicy Cultura
– Secretário Flavio Caetano Reforma do Judiciário
– Deputada Federal Erica Kokay Frente Parlamentar Contra a Intolerância Religiosa
– Deputada Federal Luiza Erundina
– Babalawo Ivanir dos Santos
– Cláudio Nascimento Superintendente Direitos Individuais, Coletivos e Difusos (SUPERDir)

Deixe um comentário

Voc deve estar logged in para deixar um comentrio.