Homenagem as vítimas de acidente com bonde em Santa Tereza/RJ

 

Moradores de Santa Teresa homenageiam vítimas de acidente com bonde

Centenas de pessoas foram às ruas de Santa Teresa, no Centro do Rio, neste domingo, para realizar  uma manifestação em solidariedade aos parentes e amigos das vítimas do acidente com os tradicionais bondes do bairro. No dia 27 de agosto, seis pessoas morreram e outras 57 ficaram feridas após um dos veículos descarrilar e tombar.

O ato, organizado pela Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR), em parceria com a Associação de Amigos e Moradores de Santa Teresa (Amast), começou por volta das 11h. Reunidos no Largo do Curvelo, músicos, políticos e representantes de diversas religiões transmitiram mensagens de conforto aos que perderam entes queridos na tragédia.

“A vida é um bem precioso. Quando um indivíduo perde um parente ou um amigo, passa por um período de muita dor. É necessário acompanhamento para poder superar o trauma e seguir em frente. Mesmo que não conheçamos as vítimas, sabemos que a solidariedade é essencial”, disse o professor e sacerdote budista Antônio Rocha, que, coincidentemente, reside no bairro há 40 anos.

Leia Mais AQUI.
FONTE: Jornal do Brasil


Cerimônia religiosa homenageia vítimas do acidente com bondinho de Santa Teresa

RIO DE JANEIRO (Agência Brasil) – Duas semanas após o acidente com o bonde que deixou seis mortos e 56 feridos em Santa Teresa, no centro do Rio, um ato ecumênico em memória das vítimas reuniu neste domingo (11) cerca de 150 moradores e amigos do bairro. Durante duas horas, sacerdotes e representantes de mais de dez religiões conduziram a cerimônia, realizada no Largo do Curvelo, em frente a uma das estações do bondinho.

Além de preces, houve cobranças às autoridades e manifestações em defesa do tradicional meio de transporte do bairro. Desde o acidente, no dia 27 de agosto, a circulação dos bondes está suspensa, pelo menos até a conclusão dos trabalhos da comissão nomeada pelo governador Sérgio Cabral.

O ato ecumênico foi aberto com a leitura do texto O Amor Quer Obras, que fala sobre a importância do bonde para os moradores e visitantes e cita trechos de escritos da santa que deu nome ao bairro. Depois de um minuto de silêncio em memória das vítimas, representantes de várias religiões discursaram. Conhecido por sua diversidade, Santa Teresa abriga desde igrejas católicas e protestantes a centros espíritas e templos de budismo, hinduísmo e bahai.

“É importante a presença de todas as religiões em solidariedade às famílias pela perda que tiveram e, ao mesmo tempo, aos moradores que pedem uma melhoria na qualidade do transporte”, afirmou o babalaô Ivanir dos Santos, interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR). Segundo ele, além de homenagear as vítimas, o ato teve como objetivo manifestar o desejo de que acidentes desse tipo não voltem a ocorrer. “Não foi o primeiro acidente e as soluções não vieram de forma satisfatória para a população”, disse.

Ao final do ato ecumênico, os manifestantes desceram a Rua Joaquim Murtinho, seguindo os trilhos do bonde até local do acidente. Lá, foi feita uma homenagem ao condutor Nelson Correa da Silva, saudado em faixas como herói. Parentes das vítimas acompanharam a manifestação, da qual participaram até integrantes do Céu na Terra, um dos blocos carnavalescos de Santa Teresa.

Leia Mais AQUI.
FONTE: O Repórter


Comissão fará ato em Santa Teresa

Rio – A Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR), em parceria com a Associação de Amigos e Moradores de Santa Teresa (Amast), realizará, neste domingo, 11 de setembro, a partir das 11h, ato interreligioso em solidariedade a parentes e amigos das vítimas dos acidentes com os bondes de Santa Teresa, um dos principais pontos turísticos do Rio de Janeiro. O encontro acontecerá na Praça do Curvelo.

O interlocutor da CCIR, babalawo Ivanir dos Santos, explica a importância do ato. “Onde houver pessoas precisando de conforto, famílias que perderam seus entes queridos, temos de estar presentes. Tantas pessoas, das mais variadas religiões, estavam no desastre. Também é nossa obrigação alertar a todos pela segurança e sermos solidários”, explicou.

Para a presidente da Amast, Elzbieta Mitkiewicz, o encontro tem o objetivo de chamar atenção para o descaso com os bondes e unir os parentes das vítimas. Segundo ela, foram feitas diversas denúncias, publicadas, inclusive, no Diário Oficial do Estado.

Leia Mais AQUI.
FONTE: AFROPRESS


Cerimônia religiosa homenageia vítimas do bondinho de Santa Teresa

Rio de Janeiro – Duas semanas após o acidente com o bonde que deixou seis mortos e 56 feridos em Santa Teresa, no centro do Rio, um ato ecumênico em memória das vítimas reuniu neste domingo (11) cerca de 150 moradores e amigos do bairro. Durante duas horas, sacerdotes e representantes de mais de dez religiões conduziram a cerimônia, realizada no Largo do Curvelo, em frente a uma das estações do bondinho.

Além de preces, houve cobranças às autoridades e manifestações em defesa do tradicional meio de transporte do bairro. Desde o acidente, no dia 27 de agosto, a circulação dos bondes está suspensa, pelo menos até a conclusão dos trabalhos da comissão nomeada pelo governador Sérgio Cabral.

O ato ecumênico foi aberto com a leitura do texto O Amor Quer Obras, que fala sobre a importância do bonde para os moradores e visitantes e cita trechos de escritos da santa que deu nome ao bairro. Depois de um minuto de silêncio em memória das vítimas, representantes de várias religiões discursaram. Conhecido por sua diversidade, Santa Teresa abriga desde igrejas católicas e protestantes a centros espíritas e templos de budismo, hinduísmo e bahai.

“É importante a presença de todas as religiões em solidariedade às famílias pela perda que tiveram e, ao mesmo tempo, aos moradores que pedem uma melhoria na qualidade do transporte”, afirmou o babalaô Ivanir dos Santos, interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR). Segundo ele, além de homenagear as vítimas, o ato teve como objetivo manifestar o desejo de que acidentes desse tipo não voltem a ocorrer. “Não foi o primeiro acidente e as soluções não vieram de forma satisfatória para a população”, disse.
Comissão fará ato em Santa Teresa

Rio – A Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR), em parceria com a Associação de Amigos e Moradores de Santa Teresa (Amast), realizará, neste domingo, 11 de setembro, a partir das 11h, ato interreligioso em solidariedade a parentes e amigos das vítimas dos acidentes com os bondes de Santa Teresa, um dos principais pontos turísticos do Rio de Janeiro. O encontro acontecerá na Praça do Curvelo.

O interlocutor da CCIR, babalawo Ivanir dos Santos, explica a importância do ato. “Onde houver pessoas precisando de conforto, famílias que perderam seus entes queridos, temos de estar presentes. Tantas pessoas, das mais variadas religiões, estavam no desastre. Também é nossa obrigação alertar a todos pela segurança e sermos solidários”, explicou.

Para a presidente da Amast, Elzbieta Mitkiewicz, o encontro tem o objetivo de chamar atenção para o descaso com os bondes e unir os parentes das vítimas. Segundo ela, foram feitas diversas denúncias, publicadas, inclusive, no Diário Oficial do Estado.

Leia Mais AQUI.
FONTE: Correio Braziliense – Brasil


Ato ecumênico no Rio lembra vítimas de acidente com bonde

Cerimônia reuniu parentes e amigos das vítimas e líderes religiosos.
Acidente aconteceu em agosto e deixou 6 mortos e mais de 50 feridos.

Cerca de 150 pessoas se reuniriam neste domingo (11), no bairro de Santa Teresa, no Rio de Janeiro, para um ato ecumênico para lembrar as vítimas do acidente com um bonde, no dia 27 de agosto. Depois da cerimônia, os manifestantes seguiram em cortejo pelas ruas do bairro, pintando de vermelho os trilhos do bonde.

No local do acidente, flores e cartazes homenageavam os seis mortos na tragédia e os mais de 50 feridos.

Além de parentes e amigos das vítimas, moradores e músicos do bairro e sacerdotes de diferentes religiões participaram do ato promovido pela Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR), em parceria com a Associação de Amigos e Moradores de Santa Teresa (Amast).

Leia Mais AQUI.
FONTE: G1


Homenagem as vítimas do bondinho de Santa Teresa

Duas semanas após o acidente com o bonde que deixou seis mortos e 56 feridos em Santa Teresa, no centro do Rio, um ato ecumênico em memória às vítimas reuniu neste domingo (11) cerca de 150 moradores e amigos do bairro. Durante duas horas, sacerdotes e representantes de mais de dez religiões conduziram a cerimônia, realizada no Largo do Curvelo, em frente a uma das estações do bondinho.

Além de preces, houve cobranças às autoridades e manifestações em defesa do tradicional meio de transporte do bairro.

Desde o acidente, no dia 27 de agosto, a circulação dos bondes está suspensa, pelo menos até a conclusão dos trabalhos da comissão nomeada pelo governador Sérgio Cabral.

O ato ecumênico foi aberto com a leitura do texto “O Amor Quer Obras”, que fala sobre a importância do bonde para os moradores e visitantes e cita trechos de escritos da santa que deu nome ao bairro.

Depois de um minuto de silêncio em memória às vítimas, representantes de várias religiões discursaram.

“É importante a presença de todas as religiões em solidariedade às famílias pela perda que tiveram e, ao mesmo tempo, aos moradores que pedem uma melhoria na qualidade do transporte”, afirmou o babalaô Ivanir dos Santos, interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR).

Leia Mais AQUI.
FONTE: Mogitronic News


Cerimônia religiosa homenageia vítimas do acidente com bondinho de Santa Teresa

Duas semanas após o acidente com o bonde que deixou seis mortos e 56 feridos em Santa Teresa, no centro do Rio, um ato ecumênico em memória às vítimas reuniu neste domingo cerca de 150 moradores e amigos do bairro. Durante duas horas, sacerdotes e representantes de mais de dez religiões conduziram a cerimônia, realizada no Largo do Curvelo, em frente a uma das estações do bondinho.

Além de preces, houve cobranças às autoridades e manifestações em defesa do tradicional meio de transporte do bairro. Desde o acidente, no dia 27 de agosto, a circulação dos bondes está suspensa, pelo menos até a conclusão dos trabalhos da comissão nomeada pelo governador Sérgio Cabral.

O ato ecumênico foi aberto com a leitura do texto O Amor Quer Obras, que fala sobre a importância do bonde para os moradores e visitantes e cita trechos de escritos da santa que deu nome ao bairro. Depois de um minuto de silêncio em memória às vítimas, representantes de várias religiões discursaram. Conhecido por sua diversidade, Santa Teresa abriga desde igrejas católicas e protestantes a centros espíritas e templos de budismo, hinduísmo e bahai.

Leia Mais AQUI.
FONTE: Diário de Pernambuco


Ato ecumênico lembra vítimas do acidente com bonde de Santa Teresa

Moradores do bairro pintaram trilhos de vermelho e levaram flores e cartazes

Representantes de várias religiões fizeram um ato ecumênico em Santa Teresa para homenagear as vítimas do acidente com bonde no dia 27 de agosto

Moradores de Santa Teresa  e amigos e parentes das vítimas do acidente com um bonde que matou seis pessoas no dia 27 de agosto e que deixou vários feridos fizeram  um ato ecumênico em homenagem às vítimas do acidente neste domingo (11), no bairro, na região central do Rio de Janeiro.

Os manifestantes caminharam pelas ruas de Santa Teresa e pintaram de vermelho os trilhos do bonde. No local do acidente, eles colocaram flores e cartazes em  homenagem aos seis mortos na tragédia e aos mais de 50 feridos.

Leia Mais AQUI.

FONTE: R7


Cerimônia religiosa homenageia vítimas do acidente com bondinho de Santa Teresa

Duas semanas após o acidente com o bonde que deixou seis mortos e 56 feridos em Santa Teresa, no centro do Rio, um ato ecumênico em memória às vítimas reuniu neste domingo (11) cerca de 150 moradores e amigos do bairro. Durante duas horas, sacerdotes e representantes de mais de dez religiões conduziram a cerimônia, realizada no Largo do Curvelo, em frente a uma das estações do bondinho.

Além de preces, houve cobranças às autoridades e manifestações em defesa do tradicional meio de transporte do bairro. Desde o acidente, no dia 27 de agosto, a circulação dos bondes está suspensa, pelo menos até a conclusão dos trabalhos da comissão nomeada pelo governador Sérgio Cabral.

O ato ecumênico foi aberto com a leitura do texto O Amor Quer Obras, que fala sobre a importância do bonde para os moradores e visitantes e cita trechos de escritos da santa que deu nome ao bairro. Depois de um minuto de silêncio em memória às vítimas, representantes de várias religiões discursaram. Conhecido por sua diversidade, Santa Teresa abriga desde igrejas católicas e protestantes a centros espíritas e templos de budismo, hinduísmo e bahai.

“É importante a presença de todas as religiões em solidariedade às famílias pela perda que tiveram e, ao mesmo tempo, aos moradores que pedem uma melhoria na qualidade do transporte”, afirmou o babalaô Ivanir dos Santos, interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR). Segundo ele, além de homenagear as vítimas, o ato teve como objetivo manifestar o desejo de que acidentes desse tipo não voltem a ocorrer. “Não foi o primeiro acidente e as soluções não vieram de forma satisfatória para a população”, disse.

Leia Mais AQUI.
FONTE: Correio do Estado


Cerimônia homenageia vítimas do acidente com bondinho de Santa Teresa
Sacerdotes e representantes de mais de dez religiões conduziram a cerimônia

Duas semanas após o acidente com o bonde que deixou seis mortos e 56 feridos em Santa Teresa, no centro do Rio, um ato ecumênico em memória das vítimas reuniu neste domingo (11) cerca de 150 moradores e amigos do bairro. Durante duas horas, sacerdotes e representantes de mais de dez religiões conduziram a cerimônia, realizada no Largo do Curvelo, em frente a uma das estações do bondinho.

Além de preces, houve cobranças às autoridades e manifestações em defesa do tradicional meio de transporte do bairro. Desde o acidente, no dia 27 de agosto, a circulação dos bondes está suspensa, pelo menos até a conclusão dos trabalhos da comissão nomeada pelo governador Sérgio Cabral.

O ato ecumênico foi aberto com a leitura do texto O Amor Quer Obras, que fala sobre a importância do bonde para os moradores e visitantes e cita trechos de escritos da santa que deu nome ao bairro. Depois de um minuto de silêncio em memória das vítimas, representantes de várias religiões discursaram. Conhecido por sua diversidade, Santa Teresa abriga desde igrejas católicas e protestantes a centros espíritas e templos de budismo, hinduísmo e bahai.

“É importante a presença de todas as religiões em solidariedade às famílias pela perda que tiveram e, ao mesmo tempo, aos moradores que pedem uma melhoria na qualidade do transporte”, afirmou o babalaô Ivanir dos Santos, interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR). Segundo ele, além de homenagear as vítimas, o ato teve como objetivo manifestar o desejo de que acidentes desse tipo não voltem a ocorrer. “Não foi o primeiro acidente e as soluções não vieram de forma satisfatória para a população”, disse.Cerimônia religiosa homenageia vítimas do acidente com bondinho de Santa Teresa

Leia Mais AQUI.
FONTE: Rede Bom Dia

Deixe um comentário

Voc deve estar logged in para deixar um comentrio.