OS CIGANOS E A INTOLERÂNCIA

 

É evidente uma união entre o racismo e a intolerância religiosa pois durante muito tempo se acreditou que nós ciganos servíamos apenas para atividades de entretenimento como músicos, cantores e dançarinos, mas não para atividades intelectuais. No campo religioso, a intolerância passa a idéia de que entre os ciganos não existe conhecimento, saberes, cultura, mas somente hábitos, práticas e libertinagem. Isto é, não haveria inteligência nem cultura nas comunidades ciganas. Mais uma vez o racismo se aplica com a idéia de que ciganos não têm inteligência e não gostam de trabalhar, logo são obrigados a roubar e enganar para poderem sobreviver.

Não há como nos defender da intolerância se não aprendermos a nos defender das armadilhas da linguagem. Nossos oráculos são totalmente desacreditados, desrespeitados e encarados como uma espécie de balcão de atendimento para quem chega com um punhado de moedas.

Quem conhece a dignidade, a integridade de nossos costumes e tradições, de como somos criados em uma sociedade diferente, mas com leis e normas que acreditam que a crença existe para fortalecer a comunidade, promover a paz, o bem estar e a felicidade; quem, enfim, acredita na grandiosidade de nossos antepassados, não pode concordar com a idéia de transformar nossa tradição em atitudes de sobrevivência barata. Por isso, lutar contra a intolerância religiosa exige um olhar diferenciado sobre as verdadeiras tradições de cada ser vivente, e o respeito mútuo a cada tradição.

Leia mais AQUI.

Deixe um comentário

Voc deve estar logged in para deixar um comentrio.