Padres podem ir para a Terceira Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa com apoio de Dom Orani Tempesta

 

 

Dom Orani Tempesta recebeu membros da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR), na Arquidiocese. A autoridadeda Igreja Católica foi convidada para participar da III Caminhada no próximo dia 19 (Crédito:Henrique Esteves)

Um encontro marcado por emoção, entusiasmo e, acima de tudo, muito respeito. O arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta, recebeu, na tarde de hoje, dia 10 de setembro, membros da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR), na Arquidiocese. Representantes do Candomblé, Umbanda, da Igreja Católica, hare krishnas, wiccanos, judeus, entre outros participaram da reunião.

Conhecido por adotar uma política de fraternidade e simpatia, Dom Orani foi apresentado a todos os membros presentes e ouviu deles palavras sobre a importância do encontro.

“Estar aqui com o senhor representa o ideal de nossa comissão: criar um ambiente de liberdade religiosa, sem traçar estratégias de guerras ou vingança. Nossa intenção é fazer com que o direito de ter fé em alguma coisa seja respeitado, assim como o de não ter”, disse o interlocutor da CCIR, babalawo Ivanir dos Santos.

“Estamos aqui para convidá-lo a participar de nossa caminhada, que acontece no Posto Seis, no dia 19, a partir das 11h”.

O interlocutor ressaltou alguns fatos de intolerância religiosa que atingem outros países neste momento e que têm sido noticiados pela imprensa de todo o mundo.

“A expulsão de ciganos na França e a queima do Alcorão pelo pastor evangélico Terry Jones são exemplos que nos entristecem. São contra essas atitudes que lutamos”, declarou o babalawo.

Dom Orani não escondeu sua satisfação, deu as boas vindas ao grupo e desejou um feliz Ano Novo ao representante judeu que acompanhava o encontro.

“Fico muito feliz em acolhê-los aqui e de podermos trabalhar juntos nesta causa. Passamos por um momento de necessidade de traçar-se um diálogo de fraternidade e liberdade, pois todos têm direito a ter sua fé. Há realmente muitas situações de intolerância em todo o mundo e, por isso, precisamos, inclusive, aceitar os que não têm fé. As diferenças não são motivos para que se mate. E sonhamos com um mundo em que todos tenham essa liberdade. Feliz Ano Novo pra você”, disse o arcebispo ao representante da Federação Israelita.

Representantes policiais falam de seus ‘sonhos de liberdade
O delegado Henrique Pessoa, membro da CCIR, contou a Dom Orani sobre a instalação do Núcleo de Combate à Intolerância Religiosa e revelou que todos aguardam a oficialização do órgão pelo governo.

“Esperamos que este reconhecimento aconteça o mais rápido possível. Será uma forma de registrar os casos de intolerância e, certamente, de minimizar os acontecimentos”, disse Pessoa.

Para o coronel Ubiratan Ângelo, também membro da comissão e representante da Maçonaria, é preciso se envolver com o sonho de um mundo livre. Ele declarou ter passado por muitos preconceitos, inclusive como policial militar, mas que aprendeu a importância de superar e se mostrar um cidadão de bem.

“Durante toda minha vida, passei por diversos preconceitos: cor, religião, profissão e muitos outros. Quando fui convidado a fazer parte da CCIR, percebi algo a mais: vi a necessidade de se mostrar o quanto somos bons, mesmo não sendo o que as pessoas querem que sejamos. É preciso se envolver com a causa, e fico feliz em estar aqui e saber que o senhor nos apoia”, disse Ubiratan.

Após ouvir cada representante, Dom Orani disse que a Igreja Católica tem a tradição do ecumenismo e, com os céticos, trata através das questões culturais.

“A liberdade religiosa é um direito civil. Acho que cada um, dentro de sua própria identidade, deve conseguir se manifestar livremente”, opinou a autoridade católica, que não se comprometeu em ir à III Caminhada devido à agenda com muitos compromissos. Porém, disse que, caso esteja impossibilitado, alguém o representará.

“Arcebispo tem suas escravidões de horários. Nem sempre tenho disponibilidade de ir a todos os lugares”, brincou. “Mas não sei se vocês sabem que quem também apoia a comissão é o Papa Bento XVI, pois todo primeiro dia do ano é a Confraternização Universal. As pessoas estão comemorando e em clima de festa, mas é uma data muito importante. E, para 2011, o tema escolhido por ele para esta celebração foi: Liberdade Religiosa: O Caminho para a Paz”.

Dom Orani e babalawo Ivanir dos Santos conversam sobre liberdade e fé (Crédito:Henrique Esteves)

Arcebispo do Rio de Janeiro apoia III Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa, organizada pela (CCIR) (Crédito:Henrique Esteves)

Dom Orani com grupo de religiosos de diversos segmentos na Arquidiocese (Crédito:Henrique Esteves)

O arcebispo alertou sobre a importância de boas relações, inclusive com os que não têm crenças (Crédito:Henrique Esteves)

O interlocutor da CCIR, Ivanir dos Santos, foi muito aplaudido após defender os direitos de todos (Crédito:Henrique Esteves)

Delegado Henrique Pessoa fez questão de beijar a mão de Dom Orani Tempesta (Crédito:Henrique Esteves)

Dom Orani com grupo de religiosos de diversos segmentos na Arquidiocese (Crédito:Henrique Esteves)

Deixe um comentário

Voc deve estar logged in para deixar um comentrio.