Praticantes de religiões afro-brasileiras reclamam das agressões morais e físicas que sofrem

 

No Rio de Janeiro, estado com maior número de praticantes de religiões afro-brasileiras, foi necessário a criação da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR) para impedir agressões morais e físicas praticadas contra adeptos da umbanda e do candomblé.De acordo com uma reportagem da IstoÉ, são registrados quase 100 casos de agressão por ano somente no Rio de Janeiro, sendo que a maioria dos ofensores são evangélicos, principalmente membros de igrejas neopentecostais, segundo dados do delegado da 4º DP, Henrique Pêssoa, que recebeu há três anos a missão de cuidar desses casos e tentar punir crismes de intolerância religiosa.

 

Leia mais AQUI.

Fonte: Notícias Gospel

Deixe um comentário

Voc deve estar logged in para deixar um comentrio.