Primeira Plenária acontece no Conselho Espírita

 

 

Seguidor do Santo Daime, Cláudio José Miranda fala na Primeira Plenária de Mobilização para a Quinta Caminhada

 

Dezenas de membros da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR) participaram, no final da tarde do dia 27 de julho, da Primeira Plenária de Mobilização para a Quinta Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa. O encontro ocorreu no Conselho Espírita do Estado do Rio de Janeiro (CEERJ) e teve a participação de católicos, wiccans, umbandistas, candomblecistas, seguidores do Santo Daime, bahá’ís, entre outros. A reunião deu início a esclarecimentos e à receptividade de novas ideias.

O interlocutor da CCIR, babalawo Ivanir dos Santos, expôs logo no início que tem sentido a adesão de muitas pessoas pela internet. “O Facebook tem mostrado que pessoas de diversas religiões e de outros estados estão se preparando para a nossa marcha do dia 16 de setembro. Isso é muito bom, porque aumenta nossa responsabilidade perante a sociedade. Vamos continuar trabalhando pela causa e contribuindo com aquilo que cada um pode fazer pelo sucesso da manifestação”, declarou.

Apoio da Arquidiocese


Ângelo Ignácio esteve na plenária representando a Arquidiocese do Rio de Janeiro, e explicou que a instituição continua com seu apoio ao movimento de acordo e respeito aos seguidores de outras religiões. “Nós daremos prosseguimento ao apoio. Sabemos que ainda existem líderes de nossa religião que não entendem a proposta. Mas, aos poucos, acredito que o diálogo inter-religioso crescerá mais ainda. É um trabalho que tem a necessidade de persistir”, disse.
Ramos, representante do Centro de Estudos Bíblicos do Rio de Janeiro (Cebi), informou sobre distribuição de cartazes e trabalho de mobilização. “O Cebi tem levado bastante cartazes, panfletos e divulgado a importância da caminhada por todo o estado. Para que ninguém ligado ao Cebi fique de fora da marcha, suspendemos qualquer atividade para o dia 16 de setembro. Todo o grupo pretende estar em Copacabana”, ressaltou.
Jyunsho Yoshikwa ratificou o fato de os budistas estarem empenhados no processo de mobilização. “É de interesse de todos que as religiões sejam respeitadas e, por isso, o Budismo tem procurado estar mais presente. Para a Quinta Caminhada, tentaremos a vinda  de nosso sacerdote nacional”.

Ideia para outros grupos


Antonio Rocha, também budista, anunciou contato com outras religiões. “ Tenho falado da caminhada e da Comissão para correntes como Rosa Cruz e Xintoísmo. Tenho certeza que faremos uma caminhada marcante em 2012”, exclamou.
Seguidor e representante do Santo Daime na CCIR, Cláudio José Miranda informou que fará, a partir de agosto, circuito em igrejas de seu segmento, com a intenção de aumentar a participação de seu grupo na marcha, que ocorre na Avenida Atlântica. “ No próximo mês, visitarei alguns templos para que o Santo Daime esteja representado nesta caminhada com bastante gente”.
Um dos representantes do Candomblé, Yango proferiu que tem percebido animação em todos os terreiros que frequenta. Por isso, deu a ideia da produção de uma peça de comunicação para que seja distribuída às casas de santo, a fim de pedir aos sacerdotes que evitem marcar atividades no dia do evento, no que antecede e no posterior. “ Acho muito importante que a gente possa distribuir um panfleto para conscientizar os líderes da Umbanda e do Candomblé de não marcarem nada nas proximidades da Quinta Caminhada. Isso vai fazer com que todos possam estar em massa”, opinou, colocando à disposição a revista “Odara”, na qual é editor. “ A caminhada tem total apoio do Agen Afro e da revista “Odara”. O que a Comissão precisar estarei disposto para o sucesso do evento”, finalizou.

Desafios

A kardecista Cristina Brito pronunciou-se para falar de desafios a serem enfrentados e que tem mobilizado os religiosos através de rádio. “Por conta da agenda do centros espíritas, muitas pessoas não conseguem ir à caminhada. No entanto, desde o ano passado, pela Rádio Rio de Janeiro, temos divulgado o movimento e levado a importância dessa confraternização de toda a sociedade para o bem de todos”.
O sacerdote wiccano Og Sperle revelou a animação da comunidade pagã para o dia 16 de setembro. “ Garantimos que, em 2012, teremos um número superior de adeptos. Para a Quinta Caminhada, vêm pessoas de São Paulo, Minas Gerais, Brasília, Pernambuco, entre outros estados”, disse.
A fundadora da CCIR e uma das representantes da Umbanda, Fátima Damas, apelou para que cada pessoa convidasse vizinhos e familiares para a marcha deste ano. “ Se cada um conseguir levar pelo menos outra pessoa, já é um grande passo. Precisamos mostrar nossa força e compartilhar o pensamento do respeito mútuo. Vamos trabalhar por isso, minha gente”!

Credenciamneto de ambulantes

Após o pronunciamento de todos, Ivanir dos Santos colocou que haverá credenciamento de ambulantes de cada religião. O cadastramento segue um pedido da Secretaria de Ordem Pública (Seop), que tem a intenção de organizar a venda de produtos religiosos no dia 16 de setembro. “ O cadastramento não é para vender comidas e bebidas. É uma forma de identificar religiosos que queiram vender produtos característicos de sua religião. Não é para os que querem vender comidas, bebidas e outras coisas”.
O coordenador de Infraestrutura da Comissão e representante da Maçonaria, Ubiratan Ângelo, deu a ideia de que cada interessado procure um representante de sua religião para fazer o cadastramento. Este ficará responsável por enviar os dados para a CCIR, que, por sua vez, mandará para a Seop.
Ao fim, ficou acordado que uma ficha será preparada para o credenciamento e disponibilizada tão logo possível para as inscrições dos ambulantes.

 

Deixe um comentário

Voc deve estar logged in para deixar um comentrio.