Quinta Plenária de Mobilização para a Quarta Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa

 

Faltando pouco menos de três semanas para a Quarta Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa, a expectativa de todos que compareceram ao auditório 93 da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) aumenta. Foi a impressão deixada pelos presentes nesta última quinta-feira, dia 01 de setembro. Os temas principais desta plenária foram a realização da Primeira Caminhada de Niterói e Municípios Vizinhos e a questão da segurança para o grande encontro em Copacabana, no dia 18 de setembro.

Alguns membros da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR) apresentaram seus planos de divulgação. Os judeus estão mobilizando seus jovens a divulgarem pelas redes sociais; os bahá’ís vão confeccionar mil coletes; os muçulmanos vão distribuir quatro mil ventarolas; os wiccanos e neopagãos estão levando a informação da Caminhada para outros países através de impressos e sites; os candomblecistas e umbandistas estão participando de um circuito de círculos preparatórios em diversas cidades, entre outros exemplos.

No último dia 28, aconteceu a Primeira Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa de Niterói e Municípios Vizinhos. De acordo com o Batalhão da Polícia Militar de Niterói, cerca de três mil pessoas compareceram à Praia de Icaraí. Um dos organizadores da marcha e membro da CCIR, Carlos Novo, da União Espiritualista de Umbanda do Estado do Rio de Janeiro, acredita que, para a primeira vez, a manifestação foi excelente. “Achei fantástica a presença do pessoal de vários municípios. É um preparativo para a caminhada do Rio.”

Apesar do sucesso do evento, também houve problemas. Um grupo teria se infiltrado entre os caminhantes e distribuído folhetos com mensagens preconceituosas. Segundo os organizadores, a placa do carro que supostamente serviu de veículo para essas pessoas teria sido anotada e prontamente denunciada às autoridades. Por conta deste episódio, a questão da segurança foi um ponto-chave nesta plenária.

“Ano passado, tivemos problemas na segurança. Mas eu gostaria de lembrar que todos que aqui estão também fazem parte disto, e cada um deve ajudar a Comissão à sua maneira. Porém, devemos lembrar que aqui somos todos iguais. Não adianta rebeldia. Lá, o trabalho é sério, e a segurança vai ser rígida. Queremos impedir que o episódio criminoso de Niterói se repita. Pedimos respeito e que cada um ajude dentro de sua área, para o sucesso da Caminhada. Esse é o segredo do trabalho coletivo”, alertou Buka, coordenador de Segurança do grupo “Só Nós da Estiva”.

Ao fim da plenária, o interlocutor da Comissão, babalawo Ivanir dos Santos, apresentou as camisas oficiais para a Quarta Caminhada, nas cores branca e azul. A aprovação foi unânime, uma vez que todos aplaudiram efusivamente.


Comissão de Combate à Intolerância Religiosa
Comunicação CCIR/RJ

Deixe um comentário

Voc deve estar logged in para deixar um comentrio.