Relatório à ONU

 

Comissão de Combate à Intolerância Religiosa denuncia “ditadura religiosa” no Brasil ao Presidente do Conselho de Direitos Humanos da ONU

 

Relatório à ONU

 

A Comissão de Combate à Intolerância Religiosa – CCIR – entregou em 26 de junho, relatório que denuncia o estado de “ditadura religiosa” promovida pelos neopentecostais no Brasil, ao Embaixador Martin I. Uhomoibai, presidente do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas. O documento relata 15 casos atendidos pela CCIR que desenrolaram em 34 ações judiciais – no Estado do Rio de Janeiro -, além de 3 vítimas que vivem ameaçadas em suas próprias comunidades e 10 casos de intolerância religiosa em outros quatro estados. O relatório aponta a Igreja Universal do Reino de Deus como propagadora da intolerância religiosa no país.
O objetivo é pedir ao Embaixador que designe um investigador para comprovar as denúncias e que seja elaborado um diagnostico pela ONU. Outro objetivo é acelerar a realização do Plano Nacional de Combate à Intolerância Religiosa pelo governo brasileiro.

O documento, produzido pelos próprios religiosos da Comissão, não traz estatísticas – que não existem. Toda documentação é feita por matérias publicadas na imprensa sobre as vítimas de intolerância religiosa e as formas de perseguição. O capítulo 3 trata do conflito entre as igrejas neopentecostais e a imprensa livre no Brasil, revela o domínio da mídia eletrônica pelos neopentecostais.

Uma copia do relatório também foi entregue ao Secretário Executivo da Comissão da União Africana – Sr. Adama Samassekou (Presidente da Academia de Letras Africanas/ ACALAN); Presidente da Conferência de Lideranças em Direitos Civis – Sr. Wade Henderson e Membro do Comitê Internacional de Seguimento de Durban – Sra Epsy Campbell, além do Ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim e Zulu Araújo, presidente da Fundação Palmares.

Leia o relatório

 

Deixe um comentário

Voc deve estar logged in para deixar um comentrio.