Religiosos e prefeitura de São Gonçalo tentam acordo para preservação de templos religiosos

 

RIO – Durante encontro na sede da prefeitura de São Gonçalo, nesta quinta-feira, a Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR) protocolou documento pedindo o tombamento do terreno onde a Umbanda foi fundada por conta do valor histórico e pela integridade do Centro Espírita Caboclo Pena de Ouro – ameaçado de demolição para construção de uma vila olímpica.

Os religiosos e o chefe de gabinete da prefeitura, Eugênio Abreu, tentaram um entendimento sobre a casa onde foi fundada a Umbanda, derrubada na última segunda-feira, no bairro Neves. O representante da prefeita Aparecida Panisset explicou que a Prefeitura de São Gonçalo não sabia do valor histórico do imóvel. O interlocutor da Comissão, babalawo Ivanir dos Santos, falou sobre a importância do local e pediu que as autoridades sejam sensíveis ao problema.

“Nós sabemos que a solução estava na desapropriação que a prefeita não fez. Mas, se você derruba o imóvel, ele pode ser reconstruído. A Secretaria da Presidência da República se comprometeu, caso a prefeita ceda, articular a formação do Museu da Umbanda junto ao Ministério da Cultura. Queremos apenas uma medida que seja boa para todos”, disse Ivanir, que sugeriu à Prefeitura que assine o tombamento do imóvel em 15 de novembro, Dia da Umbanda.

Leia mais AQUI.
Fonte: O Globo – Rio de Janeiro

 

Deixe um comentário

Voc deve estar logged in para deixar um comentrio.