Religiosos querem tombamento de templo

 

A Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR) esteve na Prefeitura de São Gonçalo, na tarde desta quinta-feira (06/10), para encontro com a prefeita, Aparecida Panisset.

A reunião teve como objetivo buscar um entendimento sobre a casa onde foi fundada a Umbanda, situada em Neves, derrubada na última segunda-feira. O grupo de religiosos foi recebido pelo chefe de gabinete, Eugênio Abreu, que explicou o fato de a Prefeitura de São Gonçalo desconhecer o valor histórico do imóvel.

O interlocutor da Comissão, babalawo Ivanir dos Santos, falou da importância do local e pediu para que houvesse sensibilidade das autoridades. Um documento foi protocolado pedindo tombamento do lugar e a permanência do Terreiro Caboclo Pena de Ouro, outro templo que seria derrubado para construção de vila olímpica.


Desapropriação

“Nós sabemos que a solução estava na desapropriação que a prefeita não fez. Mas, se você derruba o imóvel, ele pode ser reconstruído. A Secretaria da Presidência da República se comprometeu, caso a prefeita ceda, articular a formação do Museu da Umbanda junto ao Ministério da Cultura. Queremos apenas uma medida que seja boa para todos”, disse o babalawo.

Antes de tudo, Abreu explicou que Aparecida Panisset não discriminava ninguém e, assim como é evangélica, poderia ser de qualquer outro segmento. “A prefeita não instrui ninguém a discriminar. Ela é evangélica, mas poderia ser católica ou ter qualquer outra religião. O que pode estar acontecendo é um ruído na comunicação, uma vez que nunca ninguém acenou para a Prefeitura de São Gonçalo que o imóvel tinha um valor histórico.

Leia Mais AQUI.
FONTE: Afro Press

 

Deixe um comentário

Voc deve estar logged in para deixar um comentrio.