Wiccanos confirmam presença em massa na III Caminhada

por Og Sperle

Na foto, da esquerda para a direita: Og Sperle (Sumo Sacerdote Wiccano), Diogo Ribeiro e Ariadne Duvessa

Presentes na 1ª e na 2ª, os wiccanos confirmam participação em massa na Terceira Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa. A comunidade wiccana sempre compartilhou e se envolveu com movimentos em prol dos direitos humanos; contra a intolerância e ativismos a favor da natureza. Enfim, não seria agora que ficaríamos fora de uma causa tão nobre quanto esta, que é a defesa pelo direito de exercer a liberdade de culto, ou melhor, a liberdade religiosa.

 

A Velha Religião ou “Bruxaria” , como alguns costumam chamar, vem, ao longo dos séculos, sofrendo todo tipo de preconceito, quer seja religioso ou ideológico. Após a catastrófica perseguição medieval, a bruxaria conseguiu sobreviver secretamente, à medida que seu saber canônico e seus rituais eram transmitidos de uma geração de bruxos para outra. Após a revogação da última lei inglesa contra a bruxaria, na década de 1950, a Velha Religião teve seu ressurgimento com o nome de Wicca, um movimento de resgate a antigos cultos pagãos, numa época em que as pessoas já sentiam a necessidade de novas opções religiosas diferentes das contemporâneas.

No início de sua história, a Wicca era vista, pela sociedade em geral, apenas como uma mistura de bobagens, crendices e superstições folclóricas, ou como uma seita profana e maléfica, sem nenhum vínculo com o Sagrado ou Divino.

Com o passar dos anos, vimos a necessidade de mudar a imagem da Wicca, até então mergulhada em conceitos distorcidos e pejorativos aos olhos da sociedade. Fato que ainda ocorre nos dias de hoje. Para tanto, nos aprofundamos mais nos estudos e nos mistérios que cercam a Velha Arte. E isso fez com que viessem à tona algumas verdades a cerca de como era professada no passado.

Apesar de não ter sido encarada com a seriedade devida, a Wicca sobrevive até  hoje. Considerada como minoria religiosa, a Arte vem conquistando cada vez mais seu espaço e sua importância junto à sociedade. Atualmente, a Wicca já se encontra melhor estruturada e pronta para assumir seu papel de propiciar equilíbrio espiritual, mental e emocional às pessoas, buscando a melhoria da qualidade de vida da sociedade pela convivência pacífica e equilibrada com o meio-ambiente e entre os seres humanos, através da preservação da cultura e de valores.

Mas o que é Wicca? Esta é a pergunta que muitos ainda fazem

A Wicca é uma religião pagã, politeísta, animista, de imanência, de princípio monista, e culto dualista, tendo uma orientação matrifocal, sendo também iniciática e sacerdotal.

Mais do que uma filosofia ou um sistema de autoajuda, a Wicca é uma religião que estimula o desenvolvimento pessoal e coletivo, através do culto aos deuses antigos. Esse culto é a busca da percepção e do acompanhamento dos ciclos sazonais, que é o processo de transformação da natureza como parte da própria existência dos deuses. Assim, na Wicca, alcançamos uma relação íntima com os deuses e suas manifestações em nossas vidas, através desses ciclos sazonais.

 

Og Sperle – Sumo-Sacerdote Wiccano (Temenos Aetós Thesmophoros – Tradição Heládica) e membro da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa – CCIR/RJ.

 

Deixe um comentário

Voc deve estar logged in para deixar um comentrio.